Quattro Stagioni

Socialize:

Drinks clássicos ressurgem no Bitter Sexta, 07 de Julho de 2017

Negroni, Boulevardier, Aperol Spritz, Gin Tônica, Whisky Sour, New York Sour e Caipirinha. A coquetelaria ‘levada a sério’ no mais novo bar de Campinas

Em um balcão curvilíneo de madeira, sob luzes baixas amareladas, bartenders movem-se concentrados sem tirar os olhos de cada dose. Aparentemente mais sóbrios e misteriosos, os drinks saem um a um, invadindo o território além do balcão e instigando olhares.

Esse é o cenário do Bitter, mais novo bar de Campinas, que leva a sério essa história de coquetelaria. Bebidas clássicas, preparadas com extremo esmero, são a aposta da casa e, assim, são (re)apresentadas às novas gerações.

Na carta enxuta e assertiva do Bitter, o frequentador encontrará amargos, refrescantes e cítricos. Estão presentes clássicos como Whisky Sour, datado de 1870, e Negroni, de 1919. Além deles, New York Sour, Boulevardier e os mais conhecidos Gin Tônica e Aperol Spritz. Também pode ser pedida a brasileiríssima Caipirinha - de cachaça, por favor! - vinda de alambiques próximos, além de cervejas e chopes de diversos rótulos.

O gelo é artesanal, feito ali mesmo. E existe uma explicação para isso que se sobrepõe ao visual: ao ter um formato específico demora mais para diluir, conservando por mais tempo o sabor e a temperatura. A refrigeração dos copos é outra estratégia para bloquear parcialmente o calor das mãos.

Nada de limões pré-fatiados e de xaropes industrializados. As (poucas) frutas necessárias só são manuseadas na hora do preparo e, assim como o gelo, o xarope também é produção própria – feito lentamente no fogo baixo para garantir a homogeneidade do líquido e a doçura na medida.

À frente da ideia estão Lucas Gaio Silveira e Fábio Russo: mesmos donos do Bronco Burger, que parece já ter nascido bem-sucedido e que hoje têm duas unidades na cidade. Os dois contam dessa vez com a consultoria especializada de Daniel Gaio, 31, formado em Hotelaria no Senac. O ex-gerente do premiado Riviera Bar conviveu com profissionais experientes da coquetelaria e agora aplica seus conhecimentos fora da capital paulista onde trabalhou por oito anos.

Mais recentemente, a coquetelaria clássica tem arrastado fãs – principalmente em cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. A aposta é trazer a tendência a Campinas. “De forma geral, as pessoas estão acostumadas com bebidas desequilibradas, artificiais e excessivamente doces”, afirma Silveira. “Aqui, a experiência é outra: não é beber por beber; é degustar, incorporar sabores diferentes e curtir verdadeiramente – ainda assim, de forma simplificada, sem frescuras”, garante.

O espaço do Bitter é uma extensão Bronco Burger de Barão Geraldo, instalado na porta ao lado. Mas, a proximidade não é apenas física: assim como acontece na hamburgueria aberta em 2015, são duas as prioridades do bar: qualidade dos ingredientes e preparo cuidadoso.

E burger com drinks, combinam? Apesar de não ser a principal proposta, o consultor Daniel Gaio diz que sim. “O hambúrguer é bem versátil e existem uniões interessantes. Particularmente, gosto muito da harmonização com o Negron,i porque a gordura da carne quebra o amargor”, explica.

De gole em gole, o frequentador se familiariza com esse universo, em um ambiente descontraído e aconchegante, onde tradição e modernidade fazem um brinde. São velhas amigas em um balcão de bar. Mate sua sede: chegou o Bitter.

Exemplos de drinks servidos

Amargos: Negroni (vermute tinto, gin e campari) e Boulevardier (whisky Bourbon, vermute tinto e campari)

Refrescantes: Aperol Spritz (Aperol, espumante e água com gás) e Gin Tônica (gin, água tônica e fatias de limão)

Cítricos: Whisky Sour (whisky Bourbon, suco de limão, clara de ovo e açúcar); New York Sour (whisky Bourbon, vinho malbec, suco de limão e açúcar) e Caipirinha (cachaça, limão e açúcar)

Serviço

Bitter

Rua Agostinho Páttaro, 207. Barão Geraldo. Campinas.

Quarta a domingo: das 18h30 às 24h


Compartilhe




© 2013. Todos os direitos reservados.

Design: